Buscar
  • Lubben Locutor

Qual o formato de áudio ideal?


Qual é o melhor formato de áudio?

A resposta é simples: basta escolher entre os dois mais utilizados: o Wav (Windows) e AIFF (Mac). Praticamente não existe diferença substancial entre os dois. O que importa agora é a frequência e a resolução ou taxa de bits de amostragem. Frequência de amostragem significa o número de vezes que a sua placa de som grava uma amostra extraída de um sinal contínuo. Frequências de amostragem e taxas de amostragem utilizadas variam entre 44,1 kHz, 48 kHz, 88,2 kHz, 96 kHz e 192 kHz. Para mensagens URA (Unidade de Resposta Audível), utilizadas em um Call Center, por exemplo, a taxa de amostragem é ainda menor até 8 KHz, simplesmente porque os arquivos de áudio devem ser muito leves e fáceis de transportar, por telefone.

Para a gravação de áudio é sempre recomendável utilizar o Wav em 48 Khz, ou seja, o formato padrão para qualquer projeto HD. A frequência de 44,1 KHz também é muito usada, porque a qualidade é comparável com a do CD de gravação quando foram inventados no início dos anos 80. Ainda na idade do DVD, Blueray, 4G e telefonia móvel, 48KHz é, sem dúvida, o formato de entrega mais profissional. Com isso, o cliente fica à vontade para escolher o formato de áudio que ele prefere. Para fazer isso, você pode utilizar os softwares Audacity ou Sound Forge, entre outros. Cito esses para quem tem home studio e não vai fazer a produção final do áudio, que exigiria softwares mais complexos.

Quando se fala de resolução, quer-se falar sobre a riqueza ou precisão que alcançamos durante a gravação. Ela pode ser muito diversa, mas pode-se escolher variando de 8 a 16 ou 24 bits. A resolução de áudio ou profundidade tem a ver com a quantidade de informação que a placa de som grava a cada amostra: quanto maior a resolução, melhor a qualidade do som, mas também mais pesado será o arquivo resultante. Para a gravação de áudio, a combinação que melhor reflete a dinâmica da sua voz é uma profundidade de áudio de 16-bit com uma frequência de amostragem de 48 kHz.

Ao gravar em uma resolução mais baixa do que 16 bits significa que nas pausas poderemos ouvir ruído digital. Acontece também que, se tal áudio de baixa resolução é misturado com efeitos comprimidos, distorções podem surgir. Portanto, sempre é melhor optar por uma resolução de 16 bits. No entanto, se o tamanho dos arquivos é importante, por exemplo, para aplicações móveis, você pode usar 8 bits, mas sempre como formato de exportação, não formato de gravação.

Ninguém precisa dominar a matemática para ser um bom produtor e locutor - apesar de usar a matemática para gravar sem perceber. Mas vale a pena fazer um esforço e prestar atenção como a voz é convertida em milhares ou milhões de linhas de código binário. Uma vez o áudio gravado, é recomendado entregar um arquivo com áudio padrão. Isto significa que o áudio final, formato não comprimido Wav ou AIFF deve atender uma qualidade profissional simples, mas fundamental para este processo. Veja essas dicas:

1) Uma vez que você gravou e fez uma primeira edição (apenas eliminando os erros), é interessante copiar o arquivo mestre e colar em uma faixa diferente, acompanhado da pós-produção.

2) A faixa de pós-produção, aplica-se a um plugin que aparece na maioria dos programas de áudio. O chamado Leveler Vocal, (vem como padrão no ProTools, por exemplo.) Este plugin reduz a faixa dinâmica de sua gravação, sem comprometer a qualidade de áudio. Na realidade, o que ele faz é evitar picos que criam distorções indesejáveis. O VL é um compressor leve. O BTW evita a tentação de usar um compressor, você vai criar um problema para o seu cliente.

3) Uma vez que você nivelou o áudio, aplica-se um outro plugin, o Normalizer (também incluído no pacote Protools Audio Suite, e na maioria dos softwares de áudio). Você deve colocar o Normalizer em 2 dB e, em seguida ativá-lo. Desde que você use a taxa de amostragem e a resolução correta (48 kHz, 16 bits, mono), o resultado será perfeito para qualquer aplicação: Internet, HD e até mesmo transmitido pela TV.

4) Após o padrão, você pode prosseguir com a edição final, aquele que elimina respirações audíveis também, sons salivares e ruídos que deslizam para o microfone.

O que fazer com o formato mp3?

Este sistema de codificação de áudio patenteada pelo Instituto Fraunhofer, na Alemanha, por definição, é um formato altamente comprimido. Seu algoritmo inteligente elimina muitos componentes desnecessários do som, sem prejudicar a qualidade do áudio. Esse formato é ideal para entregar suas amostras de voz. Como é muito leve, permite que você forneça demos através de um simples e-mail. No entanto, ainda recomendamos a amostrado registro .wav ou .aiff e depois converter para mp3 com alta resolução. Esta operação permite reduzir até 6 vezes o tamanho da amostra, a qualidade é praticamente inalterada. Há outra vantagem para as amostras de mp3, como a forma ideal: ele pode ser jogado em qualquer dispositivo ou programa.

Referência: CONSTANTINO DE MIGUEL

#áudio #mp3 #locução #locutor #gravação

0 visualização
  • Facebook ícone social
  • YouTube ícone social
  • Instagram ícone social